Visitantes
HojeHoje21
OntemOntem39
Nesta SemanaNesta Semana342
Neste MêsNeste Mês946
GeralGeral308938

Movimentação Manual de Cargas


1) Introdução

 O transporte manual de cargas envolve partes ou todo o corpo, e mesmo que a carga a movimentar não seja muito pesada ou volumosa, a baixa eficiência do sistema muscular humano torna este trabalho pesado, provocando rapidamente fadiga com conseqüências gravosas, nomeadamente aumentando o risco de ocorrência de acidentes de trabalho ou de incidência de doenças profissionais. Os estudos biomecânicos assumem particular importância nas tarefas de transporte e levantamento de cargas, comuns a um grande número de atividades,  responsáveis por várias lesões, por vezes irreversíveis ou de difícil tratamento, sobretudo ao nível da coluna.  A coluna vertebral, devido à sua estrutura em discos, é pouco resistente a forças contrárias ao seu eixo (F), como se pode observar na figura. Quando se levanta a carga na posição o mais ereta possível, o esforço de compressão distribui-se uniformemente sobre a superfície total de vértebras e discos. Nesta posição consegue-se reduzir em cerca de 20 % a compressão nos discos, em relação ao levantamento na posição curvada.

seabra_img_texto

Existem dois tipos de levantamento de cargas no trabalho:
    • levantamento esporádico: relacionado com a capacidade muscular;
    • levantamento repetitivo: onde acresce a capacidade energética do trabalhador e a fadiga física.


2) Princípios orientadores

Deste modo, deverão ser adaptados como princípios orientadores desta atividade:
Evitar a movimentação manual de cargas; se tal não for possível, utilizar aparelhos auxiliares que substituam o esforço humano, tais como carros de mão, rolos, ventosas, pinças, etc.;  apreender e utilizar métodos e posições correctas de elevação, transporte e descarga de objectos, para o caso de não ser possível recorrer a nenhuma das situações anteriores;  complementar estes métodos e técnicas de movimentação de cargas com equipamentos de protecção individual adequado ao movimento a executar (ex.: botas com biqueira de aço para levantamento manual de uma carga pesada, luvas de borracha para o transporte de objetos escorregadios).

Na sequência destes princípios orientadores, resultam para os empregadores, quando aplicável, algumas obrigações, nomeadamente:

 • deve avaliar os riscos associados à movimentação manual de cargas;
 • deve tomar as medidas de organização adequadas (ergonomia dos postos de trabalho), ou utilizar os meios apropriados, nomeadamente equipamentos  mecânicos, com o objectivo de evitar a necessidade de uma movimentação manual de cargas pelos trabalhadores.
Na ausência destes meios, a entidade patronal deve, entre outras coisas:
 • organizar os postos de trabalho, tendo em conta as cargas em causa, os esforços físicos exigidos aos trabalhadores e os factores pessoais (aptidão física, estrutura dos membros, vestuário de trabalho, etc.);
 • informar os trabalhadores sobre a matéria, solicitar-lhes a sua opinião e proporcionar-lhes formação adequada.


3) Princípios a adaptar

3.1) Para o levantamento manual de cargas. Não sendo possível mecanizar o levantamento de cargas, para o levantamento manual, podem resumir-se algumas recomendações:
    • posto de trabalho (bancadas, prateleiras, equipamentos, etc.) deve ser projectado tendo em conta a ocorrência de tarefas que obrigam a levantamento de    cargas;
    • Limitar o levantamento de pesos a 20 Kg, no máximo - (este valor, para levantamentos frequentes, resulta de estudos efectuados pelo NIOSH-National   Institute for Occupational Safety and Health, USA), para levantamentos repetitivos em determinadas circunstâncias;
    • A carga deve possuir formas que facilitem pegar-lhe (furos laterais, pegas);
    • Manter a carga na vertical;
    • Manter os pesos próximo do corpo;
    • Evitar torções do tronco;
    • Manter os pés e costas numa postura correcta;
    • Evitar movimentos bruscos que provoquem picos de tensão;
    • Alternar posturas e movimentos;
    • Trabalhar em equipa.

3.2) Para o transporte manual de cargas. Não sendo possível mecanizar o transporte de cargas, devem adoptar-se alguns princípios, entre outros:
    • Limitar a carga;
    • Evitar carregar pesos com uma só mão;
    • Utilizar equipamentos de transporte, de preferência com rodas;
    • Utilizar o movimento do corpo a favor do movimento;
    • Utilizar um piso duro e nivelado.

Luciano Seabra.
Atua como Técnico em Segurança do Trabalho em uma empresa de transporte rodoviário de cargas. Bombeiro Militar, Professor de Segurança do Trabalho e Instrutor de Direção Defensiva, tendo atuado como Supervisor de Instalação de Redes de Incêndio e tendo formado Brigadas de Incêndio em diversos Supermercados do Rio de Janeiro.
Email: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.

 

 

 

ico_voltar

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
  • acf.jpg
  • anitec2.jpg
  • duque.jpg
  • iapp.jpg
  • sbgc2.jpg